Educação e Altas Habilidades

Entrevista com a Coordenadora Pedagógica Amanda Salles.

A entrevistada Amanda Salles é formada em Pedagogia pela Universidade de Brasília e tem duas Pós: uma em Neuroaprendizagem pelo Iepse e a outra em Educação pela Universidade de Winnipeg.

Na escola em que trabalha atualmente já foi estagiária, professora assistente, professora do jardim de infância, professora do 2º ano do Ensino Fundamental e Coordenadora. Atualmente é Coordenadora Pedagógica, onde exerce esta função há dois anos e meio.

Entrevista com a Professora de Robótica Maria Aparecida.

A entrevistada Maria Aparecida é formada em Letras Português/Inglês (licenciatura) pela Universidade Católica de Brasília e está cursando o último semestre de Pedagogia pela Universidade Clarentiano. Além da Graduação, tem Pós em Neuroaprendizagem e está fazendo um bacharelado em educação pela Universidade de Winnipeg.

Está trabalhando nesta instituição* (*não autorizado nome da instituição) desde 2012. Trabalhou nas seguintes funções: estagiária, professora assistente, professora suporte na aprendizagem da língua inglesa, professora substituta de inglês do 4º ano, professora de debate do 6º ao 9º e atualmente é professora de Robótica nas turmas de Ensino Fundamental I e professora de Inglês do 2º ano do Ensino Fundamental.

Quem Somos?

Este trabalho foi produzido para fins avaliativos da Disciplina Educação a Distância da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília.

A orientadora do trabalho foi a professora Leda Fiorentini e os alunos responsáveis pela realização deste foram: Sínthia de Abreu Vítor (graduanda de Pedagogia), Nayany de Almeida Oliveira (graduanda de Pedagogia) e Wender Alves Pugas (graduando de Psicologia).

Via: Google
Via: Google

Altas Habilidades


A identificação da superdotação é feita por meio da observação sistemática de seus traços característicos e por meio do desempenho em tarefas. Utiliza-se, para tanto, o modelo triádico da superdotação desenvolvido por Renzulli (1978, 2005), Mönks (1992) e Mönks e Katzko (2005), conforme explicam Azevedo e Mettrau (2010). Segundo o referido modelo, as pessoas com altas habilidades apresentam três traços marcantes que funcionam dinamicamente: capacidade acima da média, criatividade exacerbada e compromisso com a tarefa.

Segundo Passos e Barbosa (2011), inicialmente o estudo das altas habilidades era mais voltado para a inteligência, quando se adotava uma perspectiva quase que exclusivamente genética em sua investigação. Entretanto, como pontua Kaufman e Sternberg (2008, apud Passos & Barbosa, 2011), há mais de uma concepção de superdotação, de modo que a caracterização de uma pessoa como superdotada dependerá de diferentes critérios a depender da perspectiva adotada. Assim sendo, atualmente a superdotação é entendida de uma forma muito mais abrangente, quase sempre considerando aspectos tanto hereditários quanto ambientais.

Via: Google
Via: Google

Altas Habilidades e Tecnologia


Os alunos com altas habilidades geralmente tem um interesse específico em certas áreas de conhecimento e o professor precisa ter conhecimento de seus interesses para planejar diferentes formas de ensino para aquele aluno. O uso da tecnologia é muito importante pois dá esse suporte tão necessário na subjetividade da sala de aula, pois mostra várias linhas de pensamento, vários tipos de conhecimento e formas de adquirir esse conhecimento: por meio de jogos, textos, aplicativos, vídeos, filmes, livros, entre outros.

Mas é claro, precisa saber usar esse instrumento tão vasto de conhecimento, pois da mesma forma que colabora com a educação e escolarização das crianças, também pode prejudicar se usado de maneira inadequada e/ou exagerada.

O uso da tecnologia com altas habilidades é bastante usado no Ensino Fundamental e Médio, mais encontrado em aulas de Robótica, mas ainda não é tão visto no Ensino Infantil. Os professores ainda preferem trabalhar na Educação Infantil daquela velha maneira de "colocar a mão na massa" e isso ainda não inclui a tecnologia.

Núcleos de Altas Habilidades no DF

Há cerca de 20 turmas distribuídas no DF com educação voltada a alunos com altas habilidades, cada turma composta por professores especializados, professor itinerante e psicólogo.

Caso tenha interesse: (61) 3901-3246

Para o profissional

Pensando na formação do profissional, o Núcleo de EaD da Unesp oferece curso em diversas áreas, sendo um deles "Especialização na área de Altas Habilidades/Superdotação". Este curso oferece uma disciplina onde o profissional se aprimora no uso da tecnologia (Tecnologia da Informação e da Comunicação - TDIC).

Jogos

O site Games For The Brain oferece uma variedade de  jogos estimulantes para o cérebro.

Vale a pena conferir!

Para o profissional

Uma parceria entre o Núcleo de Atividades Altas/Superdotação e o Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte promoveu o curso "Atendimento Educacional Especializado em Altas Habilidades/Superdotação" na modalidade EaD para professores do interior de Goiás. A última turma iniciou as aulas no dia 15 de março.

Para mais informações: Ciranda da Arte

ConBraSD

A ConBraSD é uma organização não fundamental sem fins lucrativos que visa a contribuir com a defesa dos direitos das Pessoas com Altas Habilidades/Superdotação.


Para saber mais, visite o site: ConBraSD