RESUMO DO GRUPO APRENDER A SER

Grupo Aprender a Ser

Fernanda Fernandes - Matrícula 13/0109959

Jenyfer Roberta Vieira de Paiva - 16/0009421

José Welkson - Matrícula: 11/0125223

Luciano Pina Gois - Matrícula: 16/0059569

Luíza Sampaio Fernandes - 14/0152385


Para saber mais sobre o Conselho Federal de Psicologia em relação à orientação sexual clique aqui:

https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-09/conselho-federal-de-psicologia-recorre-de-decisao-sobre-orientacao-sexual

Cada ser humano tem dentro de si potencialidades que devem ser exploradas. O empoderamento e engajamento dependem da autonomia que é alcançada quando temos consciência de quem somos, das nossas limitações, das nossas qualidades e dos nossos objetivos e ambições.

Percebemos então que a compreensão de nós mesmos é extremamente necessária para nosso desenvolvimento intelectual, profissional, emocional e principalmente pessoal.

Atualmente a atuação dos psicólogos em relação ao atendimento aos homossexuais está em discussão. Quando assumimos a heterossexualidade como padrão, sujeitamos as pessoas que não estão dentro deste padrão a conflitos, o que leva alguns desses sujeitos a buscar ajuda profissional.

Se o profissional assume uma postura de levar a pessoa a aceitação de sua condição ou se ele direciona o "tratamento" para "reorientação sexual", vai influenciar a vida desta pessoa em diversos aspectos. Ao reprimir este lado, a pessoa pode estar, consequentemente, abrindo mão de diversas potencialidades por achar que não condiz com seu sexo.

Para melhor observarmos tudo e sabermos emitir opinião séria e concisa, é necessário ouvir. O ouvir é uma ferramenta fundamental e engajada para qualquer pessoa em qualquer situação. Ouvir e assimilar é uma habilidade e objeto de ensinamento de monges e profissionais da neurociência.

Segundo Rubem Alves, o modo de falar e de ouvir das pessoas pode ser interpretado de diversas formas. Sabendo como passar o que se quer "falar" e "ouvir" faz toda diferença para comunicar e para transmitir o sentimento que você quer expressar.

Por isso nossa apresentação em sala de aula é muito importante. O modo como olhamos, falamos, ouvimos e expressamos nossas idéias é visto como exemplo de educação e como forma de respeito para os alunos. Segundo Rubem Alves, o conselho que ele daria para todos os educadores seria: "olhar de modo manso para seus alunos e colegas de profissão", o que significa ser receptivo ao que o aluno traz consigo para dentro da sala de aula, pois assim transmitimos confiança e compaixão para com o outro.

Assim podemos aprender a ser, o olhar, o ouvir, o falar e o cuidado de viver com o outro e para o outro, para fazer a diferença na educação do presente e do futuro de nosso País. Mas para que o professor aprenda a ser ele precisa aprender a conhecer o mundo e suas complexidades e não apenas acumular transmitir conteúdos; aprender a fazer, que é agir para concretizar o resultado da inteligência, como resposta à uma provocação; e aprender a conviver com o outro, escutando-o e valorizando o que ele fala e sente.

Esses quatro pilares tornam a educação um processo em que o aluno é o principal foco, fazendo com que ele também aprenda a conhecer, fazer, conviver e ser.

Os pilares da educação e as tendências da educação já estudadas andam lado a lado. Percebe-se isso quando se compara as técnicas citadas no vídeo de 10 tendências e os vídeos e textos sobre os pilares da educação, que promovem o protagonismo do aluno.

Para "aprender a ser" é necessário que não busque somente passar informações mas sim recebê-las e poder transformar isso em um conjunto de estudos coletivos que possam agregar em cada indivíduo maneiras de se aperfeiçoar e se aceitar como são.

O papel do professor é desafiador pois suas atitudes podem e são consideradas influenciadoras. Tudo que fizermos ou deixarmos de fazer acarretará em um reflexo no futuro dos alunos. Nesse sentido devemos priorizar um olhar individual sobre cada um, destacando as suas qualidades e trazendo a eles essa aceitação necessária para que enfrente problemas diários e se fortaleça através deles.

Quando o aluno encontra no professor espírito motivador, ele desenvolve melhor suas capacidades e os resultados são mais positivos. Quando se tem um respaldo por parte do educador essas características se destacam. O professor não deve querer modificar as opiniões e visões do aluno mas provocar questionamentos e reflexões sobre como cada uma das situações vão ser vistas pela sociedade. Se quem recebe estará satisfeito ou como esse "alguém" irá reagir diante disso. Muitas vezes, nas redes sociais, vemos pessoas expressarem opiniões fortes a respeito de outras pessoas sem saber como o outro vai receber essas críticas ou se realmente servirá para acrescentar algo na vida de quem as recebe.