Literatura, o que é?

"A Literatura, como toda arte, é uma transfiguração do real, é a realidade recriada através do espírito do artista e retransmitida através da língua para as formas, que são os gêneros, e com os quais ela toma corpo e nova realidade. Passa, então, a viver outra vida, autônoma, independente do autor e da experiência de realidade de onde proveio. Os fatos que lhe deram às vezes origem perderam a realidade primitiva e adquiriram outra, graças à imaginação do artista. São agora fatos de outra natureza, diferentes dos fatos naturais objetivados pela ciência ou pela história ou pelo social. O artista literário cria ou recria um mundo de verdades que não são mensuráveis pelos mesmos padrões das verdades fatuais. Os fatos que manipula não têm comparação com os da realidade concreta. São as verdades humanas gerais, que traduzem antes um sentimento de experiência, uma compreensão e um julgamento das coisas humanas, um sentido da vida, e que fornecem um retrato vivo e insinuante da vida, o qual sugere antes que esgota o quadro.

A Literatura é, assim, a vida, parte da vida, não se admitindo possa haver conflito entre uma e outra. Através das obras literárias, tomamos contato com a vida, nas suas verdades eternas, comuns a todos os homens e lugares, porque são as verdades da mesma condição humana."

(Afrânio Coutinho)

Contexto histórico:

A história da Literatura Brasileira começa com a Literatura Portuguesa (do período medieval até o início da Idade Moderna). 
fonte:https://www.resumosdeliteratura.com/2015/01/resumo-de-literatura-brasileira-linha.html
fonte:https://www.resumosdeliteratura.com/2015/01/resumo-de-literatura-brasileira-linha.html

Literatura Brasileira

A Literatura brasileira tem sua história dividida em duas grandes eras, que acompanham a evolução política e econômica do país: a Era Colonial e a Era Nacional, separadas por um período de transição, que corresponde à emancipação política do Brasil.                                 

ERA COLONIAL:

  • QUINHENTISMO 
  • BARROCO 
  • ARCADISMO 


ERA NACIONAL:

  • ROMANTISMO 
  • REALISMO/ NATURALISMO/ PARNASIANISMO 
  • SIMBOLISMO (PRÉ-MODERNISMO)
  • MODENISMO 
  • PÓS MODERNISMO 

ERA COLONIAL

Quinhentismo (Século XVI): Representa a fase inicial da literatura brasileira, corresponde ao estilo literário que abrange todas as manifestações literárias produzidas no Brasil na época de seu descobrimento, durante o século XVI.

As principais manifestações literárias não são propriamente Literatura Brasileira, mas literatura sobre o Brasil.
Incluem-se nessas manifestações a Literatura Informativa dos Viajantes, Pero Vaz de Caminha se destacou nessa época através de suas cartas e seu diário, com informações sobre o Brasil. Também temos a Literatura de Catequese, que tinha o objetivo de catequizar os índios, (O padre José de Anchieta se destacou nesse período com seus poemas, hinos e sermões).

Barroco (Século XVII): Movimento artístico e filosófico que surge com o conflito entre a Reforma Protestante e a Contra Reforma. Sendo assim, o Barroco expressava o período de conflitos que as pessoas da época viviam.

A literatura barroca tinha muitos detalhes, metáforas, hipérboles e o teor dos textos era sempre voltado para a angústia entre o sagrado e o humano. Seu objetivo era propagar a religião através de uma arte de impacto, sinuosa, enfeitada ao extremo.

Principais representantes desta época: padre Antônio Vieira e Gregório de Matos.

Arcadismo (Século XVIII): Conhecido também como setecentismo ou neoclassicismo, é o movimento que compreende a produção literária brasileira na segunda metade do século XVIII.

O barroco é caracterizado por um elevado nível de complexidade, o Arcadismo é o oposto, sendo definido por uma simplicidade e pela variação das coisas simples no cotidiano.

É marcado pelo desejo de vida bucólico, com muitos elementos da natureza, e a exaltação dos padrões de beleza femininos.

Principais autores dessa época: Tomás Antônio Gonzaga e Cláudio Manoel da Costa.

ERA NACIONAL

Romantismo (Século XIX): Chegou ao Brasil em 1836, influenciado pela Independência do Brasil, em 1822. Desenvolveu uma linguagem própria e abordou temas ligados à natureza e às questões político-sociais.

O romantismo brasileiro é dividido em três gerações: geração nacionalista ou indianista; geração do "mal do século" e a "geração condoreira"

Como características principais do romantismo, podemos citar: individualismo, nacionalismo, retomada dos fatos históricos importantes, idealização da mulher, espírito criativo e sonhador, valorização da liberdade e o uso de metáforas.

Alguns escritores dessa época são: José de Alencar, Castro Alves, Gonçalves Dias e Cassimiro de Abreu.

Realismo (Século XIX): Iniciou-se em 1881, com Machado de Assis, que publicou Memórias póstumas de Brás Cubas.

Os escritores e poetas realistas começaram a falar da realidade social e dos principais problemas e conflitos do ser humano.

 Como características desta fase, podemos citar: objetivismo, linguagem popular, trama psicológica, valorização de personagens inspirados na realidade, uso de cenas cotidianas, crítica social, visão irônica da realidade.

Os autores em destaques dessa época foram: Machado de Assis, Raul Pompéia e Aluísio Azevedo.

Modernismo (1922 A 1930): Foi um movimento literário iniciado em 1922 com a Semana de Arte Moderna. Os textos passam a ser mais diretos, com humor e uma maior liberdade de escrita e com temas do cotidiano (urbanos).

Principais escritores modernistas: Mario de Andrade, Oswald de Andrade, Cassiano Ricardo, Alcântara Machado e Manuel Bandeira.







fontes: https://www.estudopratico.com.br/literatura brasileira/https://www.suapesquisa.com/literaturabrasil/

 Literatura Espanhola

  • A literatura em espanhol é muito rica, com o percurso e ao longo do tempo, deve-se levar em conta as relações autores, textos e contexto histórico.

  • O uso de textos literários nas aulas de língua estrangeira adéqua novos caminhos para o processo de aprendizagem na medida em que a literatura colabora com a promoção do enriquecimento cultural e busca potencializar a formação do ser humano consciente.

Contexto histórico

IDADE MÉDIA

Século XI; XII; XIII; XIX e XV

Predomina o caráter oral.

Predomina o verso sobre a prosa.

Caráter Religioso.

Obras: Jarchas; Cantar de Mío Cid; Cantigas;El conde Lucanor; La Celestina, dentre outras.  

Autores: Gonzalo de Berceo; Don Juan Manuel; Antonio de Nebrija; Fernando de Rojas dentre outros.

RENASCIMENTO

Século XVI 

Volta ao mundo Clássico.

Predominam as obras assinadas.

Abundam a poesia e a narrativa.

Obras: El Lazarillo de Tormes; Las Moradas; Cántico espiritual; El Quijote, dentre outras.  

Autores: Garcilaso; San Juan de la Cruz; Santa Teresa de Jesús; Cervantes, dentre outros.

BARROCO

Século XVII

Rompe com o Clássico.

Comédia Espanhola.

Literatura difícil.  

Obras: Rimas; La pícara Justina; Del rey abajo; El lindo don Juan, dentre outras.  

Autores: Lope de Vega; Luis de Góngora; Francisco de Quevedo; Calderón; Tirso de Molina, dentre outros.

ILUSTRAÇÃO (Neoclasicismo)

Século XVIII

Predomina o uso da razão.

Se ajusta a perspectiva Clássica.

Predomina a prosa e o ensaio. 

Obras: Cartas marruecas; Noches lúgumbres; El sí de las niñas; Fábulas; Poesías, dentre outras.  

Autores: Cadalso; Feijoo; Torres Villarroel, dentre outros.

ROMANTISMO

Século XIV (1ª metade) 

Expressão do sentimento Amor.

Literatura evasiva.

Predomina a imaginação.

Obras: La canción del pirata; Rimas y leyendas; Los amantes de Teruel, dentre outras.  

Autores: Larra;Estébanez Calderón; Bécquer; Rosalía de Castro, dentre outros.

REALISMO

Século XIV (2ª metade)

  Procede da França.

Obras são reflexo da realidade.

Gênero mais importante é a novela.

Obras: Marialena; Juanita la larga; La Regenta; Cuentos, dentre outras.  

Autores: Galdós; Valera; Clarín; Blanco Ibáñez, dentre outros.

PRÉ GUERRA ( 1890-1930)

Geração 98

Modernismo

Novencentrismo

Vanguardismo

Geração 27

Autores: Unamuno; Azorín; Rubén Darío; Manuel Machado; José Ortega y Gasset; Gabriel Miró; Guillerno de la Torre; García Lorca; Pedro Salinas, dentre outros.

PÓS GUERRA (1936 até atualidade)

Literatura Arraigada

Literatura desrraigada

Literatura Experimental

Literatura Atual

Autores: Miguel Delibes; Leopoldo Calvo Sotelo;  Martín Santos; Antonio Gala; Fernando Arrabal; Blanca Andreu; Ana Rosseti; Muñoz Molina; Francisco Nieva, dentre outos.

HISPANOAMERICANA

Maya

Azteca

Colonial

Romanticismo

Modernismo 

Post-Modernismo

Vanguardismo

BOOM Latinoamericano

Autores: Jorge Luis Borges; Julio Cortázar; Isabel Allende; Pablo Neruda; Gabriel García Márquez;  Carlos Fuentes; Juan Rulfo; Octavio Paz; Mario Vargas Llosa, Juan Carlos Onetti; dentre outros.



Gêneros literários

Os textos literários se organizam em gêneros literários. São eles: lírico, épico e dramático. Essa divisão baseia-se na obra Arte Poética, de Aristóteles. A partir daí, surgem novas subdivisões para classificar os textos, que leva em conta a sua estrutura e conteúdo.

Gênero lírico

Há a presença de um eu lírico que exprime suas emoções, ideias e sentimentos mais íntimos. Geralmente os verbos estão em 1ª pessoa e ocorre predomínio da função emotiva.

Ardo em desejo na tarde que arde!
Oh, como é belo dentro de mim.
Teu corpo de ouro no fim da tarde:
Teu corpo que arde dentro de mim.
Que ardo contigo no fim da tarde. 

BANDEIRA, Manuel. "O ritmo dissoluto". In:_____.Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Aguilar, 1967. 

Eu lírico: No poema, é o narrador, a voz, personagem presente nos versos, mas não necessariamente seja a voz do autor.

Gênero épico

Diferente do gênero lírico onde predomina a 1ª pessoa, aqui verbos e pronomes quase sempre estão na 3º pessoa, pois há a presença de um narrador. Em geral, conta-se sobre um fato ou história passada envolvendo guerras, heróis e aventuras, o autor é observador, não interfere na história. Há a presença de um espaço e tempo onde os personagens se situam.

Mas do céu sereno
Em branca nuvem Próvida Donzela
Rapidamente desce e lhe apresenta,
De sua mão, Espirito Constante,
Gênio de Alcides, que de negros monstros,                                              Despeja o mundo e enxuga o pranto à pátria 

O Uruguai, Basílio da Gama (1769).

Epopeias (epos =verso + poieô = faço). São poemas épicos que narram uma história.

Gênero dramático

Não há presença de um narrador, é um texto teatral composto por diálogos e que é passível de encenação. É representado por atores, através de cenas onde cada um encena o papel de um dos personagens do texto, são eles quem conta a história.

Ama                                                                                                                          E Jasão, apesar da dissensão com a mãe, há de consentir que os filhos sofram tal? Pedagogo                                                                                            O antigo parentesco cede ao novo, e ele não é amigo desta casa.                    Ama                                                                                                              Estamos perdidos, se ao mal antigo juntamos um novo, antes de aquele ter murchado. Pedagogo                                                                                        Mas tu fica quieta e guarda silêncio, que não é o momento de a senhora saber.                                                                                                                Ama                                                                                                                          Ó filhos, ouvis como é para vós o vosso pai? Não lhe desejo a morte - é o meu senhor. Mas a sua falsidade é a perdição dos seus. 

Eurípides, Medeia

Principais autores e obras:  

Aqui você encontra os principais autores e obras da Literatura Espanhola e Brasileira.   
                                                    (Clique aqui)